Reprogramação Neurossensorial

Desenhos Animados- Transformação e Cura

As histórias que escutamos desde a infância afetam e condicionam a nossa visão de nós mesmos e do mundo. De uma forma muito natural assumimos e vivemos os dramas de uma das personagens e criamos ligações emocionais entre as histórias que observamos e as histórias que vivemos. Quando assistimos a histórias de desenhos animados ou filmes podemos acionar um processo de libertação emocional muito profundo visto que através da observação e envolvimento emocional podemos intensificar determinados comportamentos ou libertar feridas emocionais e comportamentos nefastos.

No contexto da psicoterapia com desenhos animados tenho uma história pessoal muito interessante e transformadora.
Recentemente, neste ano de 2017 perdemos um Ser muito importante nas nossas vidas, um ser humano incrível e sábio, o meu sogro, avô dos meus filhos. A minha filha Débora manteve uma postura serena como é habitual nela, incrédula perante o evento repentino e inesperado. Eu sabia que a Débora não tinha feito o seu luto como deveria, assim como eu, pois quando sentimos que temos de ser pilares para os outros temos mais dificuldade em receber o colo de que tanto necessitamos.

Passaram algumas semanas depois da perda…
A Débora gosta muito de fazer serão a ver filmes, então decidi que seria bom vermos juntas ” O Príncipe Do Egito” em Desenhos Animados“. Este filme retrata uma história bíblica de Moisés como salvador dos israelitas. No final da história Moisés teve de deixar para trás o seu querido irmão que tanto amava, nesse momento a Débora entregou-se ao choro, consegui sentir a dor profunda no seu coração, tive de distanciar-me do papel de mãe. Perguntei á Débora porque chorava. Claramente estava a assumir o papel da personagem que viu o seu irmão morrer. Falei ao coração da Débora como gosto de dizer e rematei o assunto perguntando á Débora quem na sua vida ela via no papel do irmão que ficou para trás, ela percebeu e respondeu a soluçar: ” …é o avô mãe…”.

Quando a Débora conseguiu perceber o que ela estava a projetar nas personagens chorou e desabafou ainda mais e quando senti que estava mais serena disse-lhe para colocar o avô na frente dos personagens, como alguém que concluiu uma caminhada importante, observa e encoraja-as a seguiram a sua vida e darem o seu melhor, como ele sempre fez. Depois da Débora ressignificar( dar outro significado a um acontecimento de forma mais positiva) a sua dor foi o momento do abraço, porque o abraço não é como antídoto para a dor, visto que cada Ser tem de desenvolver formas de gerir as suas emoções, o abraço é a âncora que uso para mostrar que está tudo bem, missão cumprida!

A inteligência emocional é determinante na formação da personalidade, é comum ver crianças com inteligência acima da média com maus resultados na escola, exactamente por não saberem lidar com as suas emoções. O método A.M.A. foi criado para fazer face ás necessidades pedagógicas, emocionais e recreativas das nossas crianças e adolescentes, assumi o compromisso de dar voz ao seu apelo urgente de mudança para uma nova consciência.

Crianças felizes, naturalmente adultos Geniais!

 

 

 

 

 

 

 

Segue-me nas Redes Sociais:
Posted in Pedagogia A.M.A. and tagged , , , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.